Luta pelos Direitos Humanos

Direitos das Crianças

Milhões de crianças não têm acesso à educação, trabalham longas horas sob condições perigosas e são forçadas a servir como soldados em conflitos armados. Eles sofrem ataques direcionados contra suas escolas e professores ou definham em instituições ou centros de detenção, onde sofrem condições desumanas e agressões à sua dignidade. Jovens e imaturos, muitas vezes são facilmente explorados. Em muitos casos, eles são abusados pelos próprios indivíduos responsáveis por seus cuidados. Estamos trabalhando para ajudar a proteger as crianças em todo o mundo, para que elas possam crescer em adultos.

Meio Ambiente

À medida que o mundo se urbaniza e se industrializa, e à medida que os efeitos da mudança climática se intensificam, as crises ambientais irão devastar cada vez mais a vida, a saúde e o sustento das pessoas em todo o mundo. A ausência de regulamentação legal e aplicação da mineração industrial e artesanal, represas de grande escala, desmatamento, sistemas de água e saneamento doméstico e indústrias altamente poluentes podem levar a inúmeras violações de direitos humanos. Ativistas e cidadãos comuns que defendem seus direitos à terra e ao meio ambiente podem enfrentar intimidação, assédio legal e violência mortal. As principais vítimas de danos ambientais são muitas vezes comunidades empobrecidas e marginalizadas com oportunidades limitadas de participarem de forma significativa na tomada de decisões e debate público sobre questões ambientais e têm pouco acesso a tribunais independentes para obter responsabilidade e reparação.

Não perca as matérias publicadas referentes ao trabalho de Augusto de Arruda Botelho.

Augusto de Arruda Botelho

Augusto de Arruda Botelho
Augusto de Arruda Botelho

A história da Universidade de Coimbra por Augusto de Arruda Botelho

A Universidade de Coimbra é uma universidade pública portuguesa de Coimbra, Portugal. Estabelecida em Lisboa em 1290, passou por várias deslocalizações até ser transferida para a sua actual cidade em 1537, sendo uma das mais antigas universidades em operação contínua no mundo, a mais antiga universidade de Portugal e uma das maiores Ensino superior e instituições de investigação.

A universidade é organizada em oito faculdades diferentes de acordo com uma vasta gama de campos, concedendo graus académicos de bacharelado (licenciado), mestrado (mestre) e doutorado em quase todos os principais campos do conhecimento, tais como artes, engenheiros, humanidades, matemática , Ciências naturais, ciências sociais, medicina, esportes e tecnologias.

É membro fundador do Grupo Coimbra, um grupo de universidades de investigação europeias líderes, cuja reunião inaugural acolheu.

A Universidade de Coimbra tem mais de 20.000 estudantes e alberga uma das maiores comunidades de estudantes internacionais em Portugal, sendo indiscutivelmente a universidade portuguesa mais cosmopolita.

Em 22 de junho de 2013, a UNESCO adicionou a universidade à sua Lista do Patrimônio Mundial.

Reputação

A reputação da Universidade de Coimbra no ensino e na investigação é testemunhada por rankings e relatórios externos independentes. A Universidade de Coimbra ocupa o terceiro lugar entre as universidades dos países de língua oficial portuguesa (atrás da Universidade de São Paulo e da Universidade de Campinas), de acordo com o Suplemento de Ensino Superior do The Times (2007 QS World University Rankings, por QS – Quacquarelli Symonds) ),

E ficou em 318 no ranking mundial. Foi classificado como o número um entre as universidades dos países de língua portuguesa em 2006. [7] [8]

É agora o número um em Portugal, o número 3 entre as universidades dos países de língua portuguesa eo número 394 no mundo (234 em Ciências Naturais, 260 em Engenharia e Tecnologia da Informação, 282 em Ciências Sociais, 290 em Artes e Humanidades, 325 em Ciências da Vida). [9] Além disso, tem alunos de 70 nacionalidades diferentes;

Quase 10% dos seus estudantes são estrangeiros, estando entre as universidades mais internacionais de Portugal.

Figuras alegóricas da Universidade.

A Universidade de Coimbra está entre os principais pólos científicos e tecnológicos de investigação aplicada e fundamental em Portugal. Um dos supercomputadores mais poderosos de Portugal pertence à Universidade de Coimbra e é gerido pelo Laboratório de Computação Avançada do Departamento de Física da Universidade de Coimbra [10].

Construído em meados de 2000, o supercomputador foi chamado Milipeia, usando 528 processadores e 1000 GB de memória. Sua capacidade foi expandida desde então.

As principais tarefas do supercomputador da universidade incluem modelagem e cálculo em biologia molecular, genética, física de partículas, astrofísica, matemática, engenharia, geofísica, física da matéria condensada, etc.

Além dos pesquisadores da Universidade de Coimbra, outros membros da comunidade científica portuguesa podem trabalhar com Milipeia. [11]

Organização e duração dos cursos

Pátio da antiga Faculdade de Farmácia
O calendário escolar começa em outubro e termina em julho. Em 2004, foi uma das primeiras universidades em Portugal a limitar o tempo de conclusão do curso. Os programas de graduação têm um tempo mínimo e máximo especificado para conclusão.

O prazo é de 6 anos a partir da data da primeira matrícula para os graus de 4 anos, e 8 anos a partir da data da primeira matrícula para graus de 6 anos (ou seja, Medicina).

Depois disso, os alunos têm de pagar todos os custos dos seus cursos. A taxa de matrícula para cursos de graduação foi de € 356 / ano em 2002/2003. Foi aumentada para € 880 / ano em 2004/2005 e para € 901,23 / ano em 2005/2006, a taxa máxima permitida às universidades estaduais por lei.

Mesmo com o limite de tempo eo aumento das propinas, a universidade teve um número elevado de candidatos todos os anos.

À semelhança de outras universidades em Portugal, e ao contrário dos institutos politécnicos e de muitas universidades privadas, a universidade não tem classes especiais para os trabalhadores ou aulas noturnas. Aulas superlotadas têm sido freqüentes em algumas disciplinas nas Faculdades de Ciência e Tecnologia, Direito e Economia.

Nessas ocasiões, os alunos podem ficar durante as aulas ou mesmo ficar fora da sala de aula. Essas faculdades têm a maior taxa de abandono e o maior tempo médio para a conclusão do grau.

Novos edifícios, expansão do campus e infra-estruturas modernizadas desde o final dos anos 90 e os anos 2000, resolveram quase todos estes problemas.

Admissão

A admissão é estritamente baseada no mérito, e a universidade tem vários departamentos que são conhecidos por seletividade superior à média.

Numerus clausus é aplicado para selecionar entre concorrentes candidatos.

Para tais programas de estudo como os de medicina, farmácia, engenharia biomédica e arquitetura, admissão é um processo extraordinariamente difícil, e exigem uma média mínima pontuação média do ensino médio mais os exames de admissão, que geralmente varia de 170 a 200 (de 200 ).

As taxas de aceitação podem variar significativamente de faculdade para faculdade ou de departamento para departamento.

Os candidatos estrangeiros constituem normalmente mais de 10% do capital do candidato e são considerados individualmente pelos méritos alcançados no seu respectivo estado de origem ou através de protocolos bilaterais entre os governos de Portugal e governos estrangeiros.

Há também um número de outros processos de admissão extraordinários para idosos (admissão para candidatos com mais de 23 anos), desportistas, licenciados de outras instituições, estudantes de outras instituições (transferência académica), ex-alunos (readmissão), etc., Que estão sujeitos a normas e regulamentos específicos estabelecidos por cada departamento ou faculdade.

Instituto de Direito Penal Económico e Europeu

O Instituto de Direito Penal Económico e Europeu (IDPEE) é um centro de ensino, formação avançada e pesquisa, associado do Instituto Jurídico da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, que se propõe ministrar cursos e realizar investigação na área do direito penal.

Em colaboração com a Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, o IDPEE tem vindo a organizar, consecutivamente desde 1997, o Curso de Especialização em Direito Penal Económico, Internacional e Europeu, de frequência aberta aos licenciados de todos os quadrantes. O programa do curso reflecte a preocupação em considerar os problemas levantados pelo direito penal económico nas suas várias dimensões: dogmática, criminológica, político-criminal e pragmático-processual. Além disso, os recentes desenvolvimentos do processo de integração europeia não deixam incólumes os ordenamentos jurídico-penais dos Estados membros, sobretudo na área do direito penal económico, merecendo por isso um enquadramento temático próprio. Este curso tem vindo a realizar-se também em São Paulo, no Brasil, em colaboração com o Instituto Brasileiro de Ciências Criminais.

Ainda no âmbito da formação, o IDPEE tem promovido cursos breves e seminários sobre temas actuais e de particular relevância no contexto sócio-económico como a corrupção, os crimes patrimoniais, a criminalidade no espaço europeu e os programas de compliance.

No domínio da investigação, o IDPEE tem participado em vários projectos e tem igualmente promovido a divulgação e a publicação de estudos científicos na área do direito penal e da criminologia através da sua revista, a Revista Portuguesa de Ciência Criminal, e através da colectânea Textos Doutrinários de Direito Penal Económico e Europeu, que conta já com três volumes. Além disso, tem organizado, em realizações autónomas e em associação com o Instituto Jurídico, conferências e colóquios internacionais.

Fonte

Augusto de Arruda Botelho é Especialista em Direito Penal Econômico pela Universidade de Coimbra.

Augusto de Arruda Botelho

Veja mais notícias sobre  Dr. Augusto de Arruda Botelho no site Escritório de Advocacia SP Cavalcanti & Arruda Botelho Advogados Associados.

Mais links sobre Augusto de Arruda Botelho